CAPÍTULO 11 - Como serão celebradas as Vigílias aos domingos


Aos domingos, levante-se mais cedo para as Vigílias,  nas quais se mantenha a mesma medida já referida, isto é: modulados, conforme dispusemos acima, seis salmos e o versículo, e estando todos convenientemente e pela ordem assentados nos bancos, leiam-se no livro, como já mencionamos, quatro lições com seus responsórios;  só o quarto responsório é dito por quem está cantando o "Gloria", ao começo do qual se levantem todos com reverência.  A essas lições sigam-se, por ordem, outros seis salmos com antífonas, como os anteriores, e o versículo.  Terminados esses, voltam-se a ler outras quatro lições com seus responsórios, na mesma ordem que acima.  Em seguida, digam-se três cânticos dos Profetas que o Abade determinar, os quais sejam salmodiados com "Aleluia".  Dito também o versículo, sejam lidas com a bênção do Abade outras quatro lições do Novo Testamento, na mesma ordem que acima.  Depois do quarto responsório o abade entoa o hino "Te Deum laudamus".  Uma vez terminado, leia o Abade o Evangelho, permanecendo todos de pé com reverência e temor.  Quando essa leitura terminar, respondam todos: "Amém"; e o abade prossegue logo com o hino "Te decet laus", e, dada a bênção, comecem as Matinas.  Essa disposição das Vigílias para o domingo deve ser mantida, como está, em todo tempo, tanto no verão quanto no inverno,  a não ser que, por acaso, e que tal não aconteça, os monges se levantem mais tarde e se tenha de abreviar algo das lições ou dos responsórios.  Haja, porém, todo o cuidado para que isso não venha a suceder; se, porém, acontecer, satisfaça dignamente a Deus no oratório, aquele por cuja culpa veio esse fato a verificar-se.